Avaliação e Planejamento

31/07/2013 09:47

          Aos vinte dias do mês de julho de dois mil e treze, no centro  são José. Situado na rua João Verissimo. Estando presentes 28 pessoas; sendo  representantes da comunidade Santa Luzia, N.S. de Lourdes, Santa Joaquina , Imaculada da conceição e matriz. Movimentos  e pastorais: Pastoral da juventude, do dízimo, ECC, CJC, Catequese, Ministros da eucaristia. Iniciou-se às oito e trinta com o canto ‘O silêncio fala’ sob a coordenação de Claudivan. Antes da recordação da vida, cantou-se  Estes lábios meus...  O Evangelho (Lc 10, 38-42) foi lido e a reflexão foi partilhada. Seguido pelas preces , Pai Nosso, uma oração mariana e a benção.  O coordenador apresentou a hierarquização da Igreja, enfatizou que todos são chamados a servir na construção do Reino de Deus. Sendo que alguns seguem a vida consagrada, os demais colaboram como leigos engajados nos movimentos, pastorais e comunidades (como coordenadores ou animadores). Apresentou a estrutura física e administrativa da Diocese, da paróquia, como ocorre a escolha do bispo, a função dos coordenadores  e animadores.  A assembleia foi  dividida em grupos por comunidade, movimento ou pastoral, com a finalidade de avaliar a caminhada da paróquia. Após a celebração da missa, Pe Roberto assume a coordenação da reunião. Responderam as seguintes questões: 1) O que caminhou em nossa comunidade, movimento e pastoral? 2) O que deu certo? 3) O que não deu certo? 4) Como melhorar as nossas atividades pastorais? 5) O que existe? (Pastorais/ movimentos) 6) O que pretende? Como respostas obtemos: 1) Visitas diversas, surgiu novos grupos, evangelização nas famílias, maior compromisso e maior número de membros após reuniões (ministros),  rezando o terço, reestruturação da Pastoral da juventude em união com a CJC, experiências com os casais, palestras, envolvimento na liturgia. Por comunidade: Via-sacra nas ruas, mais dizimista, peregrinação com padroeiro (São Pedro), celebrações, adoração, vivencia mariana (Imac.), Crisma (Sta. Joaquina).  2) Encontrão dos/as catequistas, divisão das atividades, visita da pastoral do dízimo nas casas, aos doentes, são João na comunidade, coroinhas da catequese, aumento dos palestrantes, a participação da comunidade,  articulação entre os jovens e a perseverança no terço dos homens. 3) Falta de pessoas, de ministros, falta de compromisso de algumas pessoas, objetividade nas palestras (matrimônio), formação de coral, comunicação entre CJC/PJ e paróquia. 4) Disponibilidade real das pessoas, mais pessoas comprometidas, incentivar os noivos a frequentar as celebrações, não centralizar tarefas, fazer parcerias entre comunidades, buscar mais jovens,  informações repassadas com tempo para organização, tentar despertar o interesse dos homens. 5) Movimento Mãe Rainha, catequese, dízimo, CPC, terço dos homens, Pastoral da criança, Ministros da comunhão e da esperança. 6) Crescer enquanto grupo, dar continuidade ao que deu certo, formar um coral na catequese, novas lideranças, atingir o maior número possível de idosos, fazer reuniões, retiros e adoração, ser mais claro e prático na palestra para noivos,   implantar o CPC e visitar as pessoas que se afastaram dos movimentos e pastorais. Eu, Carlos Alberto, redigi a ata.